Etiquetas

,

A todos os pais que NÃO constam nas palavras que aqui vou deixar, um abraço por serem quem são para quem tudo merece e, espero que no dia de hoje os vossos sorrisos tenham iluminado os rostos dos vossos filhos!

“Um pai de verdade nunca será terceiro. nem é ausente. é precioso nos mais pequenos gestos. é firme e sereno. é sóbrio. é justo e arrojado. terno e bondoso. e nem mesmo quando se afasta fica  ausente”…

“Há pais que morrem em vida, devagarinho. Serão, entre todos, os mais dolorosamente ausentes. Acompanham a vida dos filhos, desde sempre. Mas desconhecem-nos. Demitem-se de lhes ler o coração ou de se colocar, por instantes que seja, no lugar deles. Imaginam valer pelos bens que transmitem e nunca pelos sonhos que conquistam (esquecendo que os pais mostram um caminho sempre que o percorrem, nunca se o indicam). Mas morrem um bocadinho se não abraçam. Morrem quando não brincam. Morrem sempre que decepcionam. E são tantas as decepções que os seus gestos acumulam que, quando morrem de facto, os filhos atestam um óbito (mais que desmoronam num choque). E, ao morrerem, deixam a pior de todas as saudades: a saudade pelo que não se viveu. Não são pais pelos gestos que dão mas por tudo o que os filhos desejavam que dessem”.

Eduardo Sá – Pais & Filhos

Aqui por casa foi dia de ir ao colégio para uma aula de xadrez com o T.T., os seus amiguinhos e professor, foi dia de treino de futebol porque se não havia birra e o choro já vinha a caminho… Mas foi também dia de bolo para o PAI😀